sorriso besta . cabelo ao vento . pés descalços . abraço apertado

terça-feira, julho 01, 2008

*AVULSO*

essas coisas que revelam a alma e dilaceram o peito.
essas coisas com certo ar poético enquanto a prosa não chega pra transtornar estas nuvens nebulosas.
...


Querendo rabiscar o papel em branco
Deixá-lo com a minha devoção
E depositá-lo na sua caixa de correio.

[...]

Minha janela fica logo ali
Ao lado da casinha branca de ninguém
E do morro alto da solidão
Esganiçando uma canção.

[...]

Julia Emerich


Eu vou, mas eu volto... *estrela*

2 comentários:

Paloma disse...

Seria tão bom se essas coisas viessem para mim em seu turbilhão habitual, mas depois achassem uma sintaxe qualquer e virassem prosa. O problema é que as coisas agudas invariavelmente rimam.
Muito bom ter chegado até aqui. Feliz pelas estrelas.
Um abraço.

Luma disse...

Estrelinha, esse poema não combinou com você!! Muito nebuloso! (rs*) Boa semana! Beijus